Apesar de não ter sido gerado no Brasil, o bola ganhou tanta relevância realmente vernáculo que é improvável dissociar sua trajetória da própria história do país. Bola a sociedade brasileira são duas realidades que se fundem de modo metódico, a detalhe de o esporte ter sido classificado como “paixão vernáculo”. Porém que é a origem dessa cultura arraigada na população? Porque razão a modelo foi eleita entre tantas, ganhou uma série de adeptos se tornou universal? A resposta não está somente nas qualidades do esporte, porém nas peculiaridades da sociedade.

“A idéia de utilizar o pelada para fabricar uma identidade pátrio foi alguma coisa construído no percurso dos anos atualmente faz secção da cultura do Brasil. Já em 1925, o Paulistano fez sucesso em uma excursão pela Europa, a prelo chamou a equipe de ‘os reis do bola´. voltaram, eles foram recebidos com sarau até pelo presidente”, conta Fátima Martin Rodrigues Antunes, doutora em sociologia pela Universidade de São Paulo, que presentemente trabalha na prefeitura da capital paulista.

A valorização do sucesso esportivo faz secção de uma reação de auto-certeza dos brasileiros em uma produção estrangeira. Nada disso de meios gerados no país, o bola é uma atividade inventada por europeus que se transformou entrou em contato com a requebro o estilo característico dos brasileiros.

“Isso possui a ver com a idéia de que podíamos ser bons em um tanto que vinha de fora o planeta urbano prezava. Não se trata mas de samba, desordeiro ou mestiçagem, porém de football. Isso reverteu a forma trivial continuamente negativa de ler a nossa identidade”, reforça o antropólogo Roberto da Matta.

Ante tanta relevância para a sociedade, o pelada deixou de ter sua duração limitada aos 90 minutos das partidas. As discussões sobre o jogo passaram a permear todo o dia do povo, nas conversas informais nas análises de especialistas. veja este post.

“Nessa ótica, o bola assume uma quesito de fenômeno social precisamos buscar entendê-lo na perspectiva do planeta atual. Este fabrica implicações sociais, políticas, culturais, econômicas, biológicas… sua abrangência extrapola bastante as quatro linhas”, analisa o mestre de sociologia Aldo Antonio Azevedo.

No início, o bola chegou ao país, essa massificação foi empregada a lascar da estratificação dos estereótipos de clubes torcedores. Essa identificação facilitou o acúmulo de pessoas com perfis parecidos, também o espeque do governo a uma atividade capaz de produzir o noção de unidade pátrio fornecer como um distração de extensa abrangência.

“Antes, as torcidas de bola surgiam a arrebentar da associação da imagem do associação. Atualmente há pesquisas que constatam uma alteração no cenário, essa repartição praticamente inexiste. Atualmente, um simpatizante de bola é formado na puerícia a disseminação do pelada é uma das responsáveis por consequência”, comenta Fátima.

No início do século XX, o bola brasílico passou por alterações como a ingresso dos negros dos pobres, além do início da era do profissionalismo desde 1933. Essas outras mudanças foram feitas com o alvo de conceder ao esporte um perfil mas aproximado facilitar o comitiva.

“Esse novo cenário também passou a comportar formas teatralizadas de espiralar. Tudo isso aconteceu em um cenário de desenvolvimento das mídia de um governo de táticas populistas, que era do Getúlio Vargas. A soma desses fatores propiciou o início das primeiras torcidas organizadas ampliou a disseminação do esporte no país”, justifica Luiz Henrique de Toledo, doutorado em ciência social pela Universidade de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.